Artistas

Lollapalooza 2016: Com três guitarras, Albert Hammond Jr. passa no teste longe do Strokes



Para os fãs, ele é o guitarrista inquieto e talentoso do Strokes. Para boa parte imprensa, além disso, ele é filho do cantor Albert Hammond. Mas, para Albert Hammond Jr., ele é apenas Albert Hammond Jr. E o rapaz, que tem três álbuns de estúdio e um EP no currículo, provou, durante uma hora de um show enérgico no palco Axe, que isso não é pouco.

Acompanhado de mais dois guitarristas, além do seu próprio instrumento, o músico agradou tanto aos fãs de Strokes – representados por diversas camisetas espalhadas pelo público – quanto aos curiosos que passaram para dar uma espiadinha. Ainda que estivesse relativamente vazio, o show foi acompanhado com entusiasmo, principalmente em faixas como “101”, “Everyone Gets A Star” e “Gfc”. Espécie de guitar hero dos anos 2000, Hammond Jr. não desgrudava de sua companheira nem mesmo quando apenas cantava, girando a correia para trás e deixando a – já conhecida – Fender Stratocaster de cor creme em suas costas.

Os dois guitarristas de apoio até se destacavam vez ou outra, mas quem comandava a festa de solos – bem à lá Strokes, diga-se de passagem – era Albert Hammond Jr. O músico, que recompensou o fiel público com duas palhetas disputadíssimas, tem um estilo de tocar que funciona muito bem ao vivo, com riffs que aliam peso e belas melodias. Em certo momento, fez piada com a microfonia e os ruídos típicos de shows de rock. “Acho que para o natal vou arrumar um wireless”, debochou, apontando para a quantidade de cabos no chão.

Simpático e comportado – longe dos velhos dias de esbórnia –, anunciou que o show estava acabando quase como uma vovó. “Logo iremos terminar e poderemos comer um lanche. Sem drogas, só abraços”. Já com o público na mão, mandou “In Transit”, “Born Slippy”, “Losing Touch” (ponto alto do show) e “Side Boob” para fechar.

Sem músicas do Strokes no set list, Albert Hammond Jr. passou com sobras no teste sozinho no Brasil. Diferentemente de um comparsa de banda que se apresentou no Lollapalooza em carreira solo há dois anos num showzinho, para dizer o mínimo, estranho.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.